giants

A precarização do mercado de trabalho digital freelancer

Não importa quais juízos de valor aqui, mas a constatação do fato. Hoje no mundo todo há setores que atuam no segmento digital dentro de macro setores, e, em razão da velocidade como andam as coisas, uma pequena fatia do mercado é disputada a tapa na internet.

Escrever posts temáticos para blogues, fazer perquenos reparos de programação em um website, vender um domínio com boa visitação, entre outras vertentes são ofertas que há alta demanda, porém muitos competidores.

"Tem de ter preço bão!"

Esse é o lema dessa fatia de mercado. E também estar preparado para as chorumelas, como de praxe acontece em pequenos mercados nos quais a fatia do bolo é menor.

Isso significa ainda outra coisa, ou melhor ainda, denota um aspecto importante da questão: é preciso ser bom no que se faz. Quer dizer, não é que há precarização do mercado digital freelancer na relação entre budget e serviços contratados no segmento, mas que para participar da corrida ao ouro mirrado é preciso ser qualificado.

A lógica da juventude

Isso não é de hoje, dos tempos tecnológicos, mas é neles que se verifica a ascensão dos mais jovens sobre os mais velhos. Porque a tecnologia é uma atividade atual e requer cabeças livres de grandes problemas e prontas para conceber novas realidades, mesmo que virtuais, pois a humanidasde está reaprendendo a interagir uns com os outros mas numa ordem cada mais crescente e infinda.

O mercado de serviços digitais é dominado por algumas plataformas de ofertas de serviços freelancer em vários subnichos do setor digital, sobretudo o de internet onde parece ser a maior demanda das empresas que precisam aparecer e se destacar de seus concorrentes.

O Marketing Digital requer serviços minuciosos

Um olhar atento não é o bastante. Métricas e análises relatoriais de dados são importantes, mas não identificam que a essência está na geração dos resultados, como numa concepção natural entre pai e mãe de um bebê. A geração é que qualifica o projeto que veio ao mundo. Depois, obviamente, analisar-se-á como evolui essa criança, os potenciais e qualidades dela, etc.

Gerar conteúdo ainda pode não ser o bastante. É preciso reunir sempre meios de expansão do potencial existente em cada empreendimento para viabilizar não só a imediata rentabilidade possível, mas principalmente uma forma durável de realizar cada investimento tendo em vista a volatilidade da informação nesses tempos.

A ideia do foco em ação

É sempre interessante evocar essa ideia de focar no nicho. Mesmo com tanta gente no mercado buscando uma oportunidade disputadíssima, há espaço para a criatividade e inovação.

Os meios na internet são inúmeros e a cada dia é possível conhecer uma nova ferramenta com a qual se cria algum conteúdo, muitas vezes de raro valor, mesmo dentro dessa areia movediça da internet que a tudo engole para um buraco negro.

É tanta informação que dificulta até mesmo renovar a abordagem disso ou daquilo, justamente para se diferenciar do que já temos aos borbotões.

Melhor fazer bem o que se sabe

Esse ensinamento é dos mais sábios que conhecemos. Mesmo no afã de tentar ganhar mais pode se esconder tal provérbio. O que sabemos bem muitas vezes pode ter de ceder espaço para outras tarefas complementares. No entanto, tentar focar o mais possível naquilo que se faz bem é sensato e producente.

Marketing Digital Editorial é uma forma de marketing na WEB que reúne muitas das atividades de um conteudista que sabe que não deve apenas escrever, mas editar imagens, vídeos, websites, blogues, etc. é um híbrido necessário para esses tempos em que o saber se multiplica com a avalanche de informação que vem de todos os lados e de todas a formas tecnologicamente possíveis. Isso é que é era de trazer vida ao conhecimento.